Fantasia e Ficção · Trechos e Textos

[DEIXA QUE EU CONTO]

mulher s mar n

MEREDITH 

 

A calçada que seus pés descalços tocavam, ela sabia, eram tão ásperas quanto às palavras que ouvira outrora, tão frias quanto as lágrimas que lhe escorriam dos olhos pelo pescoço lânguido. Ao perambular pelas ruas, sem destino certo, deixou que os ruídos serpenteassem em seus ouvidos e que a brisa açoitasse a sua pele e fizesse voar suas roupas ainda manchadas com o sangue de quem tanto amara. Não tinha saída, ela também sabia. A vida lhe passava como um borrão, como algo que pudesse lhe escapar pelos dedos. Enquanto caminhava, ela lembrava dos últimos acontecimentos, num misto de dor, fúria e um sofrimento tão palpável que lhe sufocava a garganta.

Foi há seis horas, e nunca, em nenhum momento de sua pacata vida na cidade, Meredith pensou que o dia 23 de julho de 2008 terminaria daquela forma. Há seis horas, a realidade do agora ainda era um pesadelo distante e intragável. Meredith perdeu o emprego de corretora e, no auge dos 38 anos, não tinha tantas perspectivas. Ao chegar em casa naquela noite após a demissão, no entanto, não havia sido somente o emprego que ela havia perdido. O cheiro agridoce e ferrenho da tragédia lhe atingiu as narinas antes mesmo que entrasse. A porta estava trancada, como de costume, mas este fato corriqueiro não lhe deu nenhum alívio, destrancou a porta com cuidado e entrou…

A casa revirada era um indício, móveis quebrados, o odor metálico de sangue, os cristais da prateleira de cor âmbar que antes enfeitavam o lado esquerdo da sala, agora jaziam em estilhaços no chão. Mais adiante, outro indicio da tragédia, o sangue do qual sentira o cheiro formava uma trilha espessa no chão, indicando, mesmo que de forma inconsciente, o local para onde ela deveria ir.  Movida pelo desespero do que vira, ecoou na mente os nome dos filhos, mesmo que da boca não lhe escapasse nenhum som. Não os encontrou de imediato, os dois filhos pequenos, mas não precisou avançar muito para encontra-los caídos ao pé da lareira. Ela sentiu derramar do próprio sangue ao ver o dos filhos escorrer no carpete caro que cobria o piso de madeira da sala de visitas. Ver seus sorrisos apagados fez inflamar em si o mais terrível dos sentimentos, como se mil facas lhe atravessassem o peito. Correu de encontro ao que naquela manhã chamou de “meus amores” quando uma imagem na porta da cozinha lhe chamou atenção, o marido. Ela soube então…

De posse da arma que comprara no intuito de defender a família em algum momento, olhou-a com um pedido de perdão nos olhos cinzentos que há muito tempo a conquistaram. Viu nele o reflexo do próprio desespero. Como se também se sentisse perdido. Tudo se passava lentamente e os sentidos de Meredith, agora, estavam em alerta. Havia visto sinais de descontrole por parte de seu marido, quando este também perdeu o emprego dois anos antes, mas não quisera acreditar. Agora a verdade estampava o chão da sala e ela sabia. As palavras saíram ásperas e carregadas de dor como se ele fizesse esforço para pronunciá-las: “Fui eu, bebi de mais, não sei o que aconteceu comigo…”.

Era novamente a velha desculpa, mas desta vez com um peso maior, muito maior. A mesma desculpa que usara tantas vezes para justificar comportamentos agressivos e estranhos, como tinha sido meses antes quando, por culpa do álcool, avançou um sinal vermelho e quase atropelou uma idosa que passava naquele momento. Também havia sido culpa do álcool quando a agredira algumas semanas atrás e, muitas outras culpas que não cabem citar…

Tomada por um ímpeto de raiva e desespero, arremessou-se contra ele iniciando sua primeira batalha corporal. Ele não recuou, estava armado e ela sabia. Mas isto não a impediu de atacá-lo com as unhas afiadas e marcar o seu rosto com três cortes. Não ficou surpresa quando, no auge de sua batalha, o cano frio da arma pressionou suas costelas, pelo contrário, fez o que vira muitas vezes nos filmes de ação que seu marido insistia em assistir aos sábados à noite, agradeceu-lhe em pensamento por isso. De posse dos últimos resquícios de força e diante da debilitada situação e confusão emocional que ele se encontrava, Meredith girou a arma em direção oposta quando sentiu o gatilho ser puxado e o odor metálico se instalou novamente no ar…

O som grutual que escapou da garganta do homem obscuro a sua frente era o que lhe confortava a alma. Ele fora atingido, e ela sabia. Tombou para trás no impulso de se afastar, a arma caindo de lado, foi o que Meredith precisava, e queria. Com sua mão pequena e trêmula segurou a arma apontada em direção àquele que um dia roubou seu coração, numa tarde ensolarada e quente perto do mar. Antes que ele proferisse qualquer outra palavra, o gatilho foi puxado mais uma vez naquela noite. O corpo desfalecido de seu marido era mais um para corroborar com a cena criminosa na sala de estar…

Sua mente estava em um borrão, seus pensamentos ja não eram coerentes e há muito havia perdido a capacidade de falar. Ao chegar perto dos filhos mais uma vez, abraçou-os por aquilo que ela sabia ser a última vez. As lágrimas salpicaram-lhe o rosto e o choro desesperado finalmente veio, o sangue que lhe manchavam as vestes eram daqueles que se foram pelas mãos do homem que acabara de, também, tirar a vida. Não pôde evitar comparações, se tornou uma assassina como ele, e ela sabia.

As sirenes cantaram ao longe, no seu rosto lágrimas secas, os pés puseram-se a correr como se sua vida dependesse daquilo, perdendo os sapatos pelo caminho e pisando no chão gélido da rua, precisava fugir, não de seu julgamento, mas da dor que se instalava cada vez mais insuportável. Ao andar sem destino, parou onde tudo começou, no mar… Onde conhecera aquele que um dia lhe tiraria seus amores e lhe obrigaria a ser como ele.

Agora, seus pés descalços tocavam a areia branca e imaculada da praia, a correnteza lhe chamava como pedidos de socorro dos filhos, as lágrimas que escorriam pelos cantos dos olhos lhe atingiam os cantos da boca. Afogava-se na própria dor. Continuou andando até deixar-se envolver pelas águas frias do mar. Não se importou, não teria mais vida sem os filhos. A água do mar tinha o mesmo gosto de suas lágrimas, no fundo ela sentiu alivio, como se tivesse livrado o mundo do mal.

 

By Geissiane Lustosa

Resenhas

[RESENHA] Grafitti Moon – Cath Crowley

Hey, pipols!

A resenha de hoje é do livro Graffiti Moon, uma das leituras realizadas durante as férias e uma história que os amantes de romances não podem deixar de ter na estante. O livro foi escrito pela Cath Crowley e publicado aqui no Brasil pela Editora Valentina, foi também vencedor dos prêmios NSW Premier’s Literary Award (Ethel Turner Prize for Young People’s Literature  ) e Prime Minister’s Literary Award (Young Adult Fiction)

Vamos conferir…

Graffiti Moon

Sinopse: Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.

Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?

O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.

A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.

Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.


Opinião: P_20170805_200854

Amor, Poesia e Arte ditam essa história do início ao fim.

Ao sair de casa aquela noite, Lucy não queria nada além de passar um tempo com suas melhores amigas e conhecer o Sombra, o cara que derramava sobre os muros da cidade a sua arte, suas cores, sua vida. Lucy era apaixonada pelo que via dele nos muros e, consequentemente, apaixonada por alguém que nunca vira. Ao menos era isso que ela achava.

O Sombra era Ed, o garoto com quem ela havia tido um “encontro” alguns anos antes, o pior encontro da sua vida e o mesmo garoto cujo nariz ela quebrou. Ed trabalhava em uma loja de tintas até que o dono, que também era um de seus melhores amigos e confidentes, morreu. Ed realmente teve momentos difíceis, saiu da escola, ficou sem emprego, perdeu um amigo e ainda tinha que se preocupar como ajudar sua mãe com as despesas da casa. Seu único escape eram os muros em branco, era ser o Sombra.

Naquela noite, quem sabe por obra do destino, Ed e Lucy se encontraram. Obviamente nenhum deles havia esquecido o terrível encontro, mas como os amigos de ambos concordaram em sair juntos, eles se viram obrigados a compartilhar da companhia um do outro, pelo menos por aquela noite. E como ninguém é capaz de prever o que o futuro reserva, aquela foi a noite em que tudo que sabiam e pensavam um do outro foi completamente modificado.

P_20170805_200937

Quando Ed descobriu que Lucy sonhava em conhecer o Sombra e ambos saíram em uma aventura pela cidade, cidade cujos muros ele pintava, ele temeu que o Sombra que ela imaginava estivesse muito longe do cara que Ed realmente era. Então ele decidiu mostrar a sua arte, a arte dos muros, as artes escondidas que Lucy nunca tinha visto, o que Ed não esperava era que Lucy entendesse tão bem o sentimento que estava pintado na parede, entendesse tão bem os sentimentos dele, e ele, com certeza, não esperava que Lucy também fosse uma artista e que também encontrasse na arte sua válvula de escape.

Com uma narrativa bem descritiva e ao mesmo tempo leve e envolvente, daquelas que fazem a gente suspirar, a autora nos leva aos desdobramentos dessa história encantadora. Ed e Lucy são o casal mais improvável e ao mesmo tempo o encaixe perfeito de um quebra-cabeça, com capítulos intercalados, ora narrados por Lucy, ora por Ed e ora pelo Poeta, a leitura se torna rápida, dinâmica e nos prende até o final… Ávidos por saber o destino de Lucy e Ed.

A história é puro amor, descoberta, superação, poesia, poesia e poesia jorrando de cada página. Graffiti Moon é apaixonante!

PS1: Não foi spoiler dizer na resenha que o Ed é o Sombra, isso fica evidente na história desde a primeira linha 😉

Nota 5/5 ❤

Adicione à sua estante no Skoob!

Bjokas ;*

 

Resenhas

[RESENHA] No Mundo da Luna – Carina Rissi

Olá, pessoas!

A resenha hoje é do livro No Mundo da Luna, mais um Chik Lit maravilhoso escrito pela Carina Rissi e publicado pela Verus Editora… Vamos conferir.


Sinopse: A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe vive trocando seu nome.
Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo dela. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção?
Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.
Com seu estilo ágil e fluido, Carina Rissi criou em No mundo da Luna uma leitura viciante, permeada de humor, magia e paixão, que vai conquistar você do início ao fim. 

P_20170627_214417


Opinião: No Mundo da Luna é aquele livrinho de leitura gostosa, do tipo que quando embarcamos nele fica difícil parar de ler, do tipo que a Carina Rissi sabe fazer muito bem!!! Luna é descendente de ciganos e uma jornalista recém-formada ansiando por escrever matérias de verdade para a Fatos&Furos, revista onde trabalha… Como recepcionista… Onde anotar recados é o mais próximo que Luna conhece sobre escrever para uma revista. Longe de ser o emprego dos seus sonhos, Luna entrou na revista atraída pelo trabalho de Dante, jornalista e atual Diretor Geral da Fatos&Furos, jovem e com uma brilhante carreira consolidada. Mas o príncipe virou um sapo. A personalidade ranzinza de Dante quebra completamente a admiração de Luna pelo chefe, que ainda troca o seu nome todas as vezes que se dirige a ela. Luna ainda foi traída pelo namorado e a revista está à beira da falência. Mas há males que vem para o bem… Ou quase isso.

Com alguns jornalistas deixando a Fatos&Furos para trabalhar na revista concorrente, eis que surge a oportunidade de Luna escrever sua própria coluna… O Horóscopo… Algo que ela não acredita e muito menos entende. Mas aproveitando de sua origem cigana ela busca ajuda de sua avó, uma senhora muito comprometida com as tradições ciganas e que leva essa história de ler o futuro muito a sério e, por isso, Luna não consegue a sua ajuda. Decidida a encontrar uma maneira de escrever o horoscopo e já com prazos bem apertados, Luna encontra numa lojinha um velho baralho que a vendedora jurou ter poderes mágicos…. E é aí que as coisas acontecem.

P_20170627_214341

A Coluna da Cigana Clara, como Luna assina, se torna um verdadeiro sucesso, sua caixa de entrada do e-mail é repleta de mensagens agradecendo suas previsões e lhe contando como tudo que ela escreve realmente acontece na vida das pessoas. Mas quando se trata da vida de Luna, seria um máximo poder prever o próprio futuro, ao marcar um encontro com um colega de trabalho e o mesmo lhe dar um bolo, Luna acaba reencontrando o ex que a traiu e… a noiva dele!

Dante é um jornalista jovem e brilhante, que está tentando salvar a Fatos&Furos da falência, namora a belíssima modelo Alexia, além da constante preocupação com o futuro da revista e com os jornalistas que estão abandonando o barco, sua namorada também resolve deixa-lo. E é aí que seu caminho cruza o de Luna fora da revista… O que era para ser uma noite de afogar as mágoas na tequila, acaba os envolvendo mais do que os dois podiam imaginar ou mesmo controlar. Obviamente o arrependimento que veio na manhã seguinte não ajudou a tornar as coisas mais fáceis daquele dia em diante. Havia sempre uma força maior tentando atraí-los e fazer com que esbarrassem o caminho um do outro. Mas se as coisas fossem simples não seria a vida da Luna ou do Dante e muito menos um livro da Carina Rissi. Os altos e baixos desse relacionamento são mais complicados do que parecem. A força que os atraia podia muito bem ser alguma manipulação da magia da Cigana Clara, ou poderia ser amor verdadeiro?

Carina nos traz uma história repleta de reviravoltas, com personagens bem construídos e uma protagonista fantástica, narrativa leve e que envolve o leitor facilmente. A minha única ressalva e que fez o livro não ser um 5 estrelas é em relação a quantidade de capítulos. Alguns pareciam que estavam ali apenas para ocupar espaço e poderiam facilmente ter sido retirados, “enxugando” um pouco da história. Do mais, livro ótimo pra tirar da bad ou curar AQUELA ressaca literária ❤

Nota: 4,5/5

Resenhas

[RESENHA] O Plano Perfeito – Sidney Sheldon

Olá, pessoas! A resenha hoje é do livro O Plano Perfeito, do mestre Sidney Sheldon!

P_20170615_153420Sinopse:Para Oliver Russell, não existe prazer que se compare à sensação de poder. Mas quando chegar à Presidência dos Estados Unidos, saberá que poucas coisas podem ser mais devastadoras para as suas ambições políticas que o desejo de vingança de uma mulher traída. O plano perfeito narra a história de paixão, poder, traição e desforra envolvendo a publicitária Leslie Stewart e Russell, que a abandonara para se casar às escondidas com a filha de um senador influente do Kentucky, estado pelo qual se candidatou ao governo.


Resenha: As aparências enganam mais do que podemos imaginar…. Ninguém escreve sobre política, guerra, intrigas, romance e assassinatos, em um único livro, como Sidney Sheldon!

O Plano Perfeito é o que eu chamaria de Livrão da Porra. Sim, daquele tipo que você pensa “esse monte de reviravolta não vai encaixar! ”, aí o autor vai lá e pah… Encaixa tudo num perfeito quebra-cabeça montado até a última peça.

Oliver Russell é um advogado bem-sucedido que, com as parcerias certas e sendo casado com a filha do Senador Todd Daves, conseguiu chegar à Presidência dos Estados Unidos. Mas antes disso, deixou para trás a bela Leslie Stewart, com quem estava de casamento marcado. Amargurada, Leslie constrói um império jornalístico com o objetivo de derrubar Oliver e manchar o seu nome na Casa Branca. Mas não seria um livro do Sheldon se parasse apenas por aqui, O Plano Perfeito traz ainda em primeiro plano a ascensão de Dana Evans e como a mesma tornou-se uma celebridade do jornalismo ao cobrir a guerra em Sarajevo.

No comando dos EUA, Oliver tem a sua imagem seguida aonde quer que vá, mas isso não o impede de manter casos extraconjugais, muito bem acobertados pelo seu assessor, o inteligente e misterioso Peter Tager, um homem religioso e tão devotado à sua família como às estratégias políticas. Tager é o braço direito que qualquer político pagaria o inimaginável para ter, perspicaz e com a habilidade de manipular pessoas e situações, ele facilmente se tornou tão conhecido, admirado e respeitado quanto o próprio presidente.

Leslie casou-se com um magnata do jornalismo e após a morte do marido herdou tudo que era dele, com a fortuna deixada ela começa a comprar jornais e emissoras de televisão por todo o globo, no intuito de impedir o eminente segundo mandato de Russell, não demora até ela tornar-se dona do Empire e da WTE emissora, um dos mais importantes jornais de Washington DC, no qual Dana Evans começou a carreira.

P_20170615_153539

Dana Evans, uma das mais amadas heroínas de Sheldon e que também protagoniza outro livro do autor (O Céu Está Caindo), passou a infância viajando por diversos lugares com a mãe e o pai militar, para muitas crianças seria difícil se adaptar, fazer e deixar amizades por onde passasse, mas para Dana era pura emoção e aventura, quando os pais se separaram e Dana passou a viver com a mãe, ela sentia falta de fazer algo que fosse realmente útil. Foi quando descobriu o jornalismo. Mas Dana não sonhava em ser uma jornalista comum, ela almejava ser correspondente de guerra. Inteligente e determinada, quando surgiu a oportunidade, Dana não hesitou em cobrir a guerra em Sarajevo, um país que já estava quase completamente destruído pelos efeitos dos anos a fio de bombardeio.

Estas quatro histórias têm muito mais ligações do que deixam transparecer, e quando uma jovem é encontrada morta após uma overdose de Ecstase em um luxuoso quarto de hotel, Sheldon começa a sua mágica eletrizante. Com uma escrita ágil, acontecimentos imprevisíveis, traições, grandes equívocos, um final surpreendente e que deixa muitas perguntas sem resposta (característica marcante nos livros do autor), O Plano Perfeito se destaca como um dos melhores romances de Sidney Sheldon.

Nota 5/5

Adicione à sua estante do Skoob 😉

Indicação · Novidades

Super promoção de livros na Amazon <3

Oi, pessoas!

Se tem algo que todo leitor adora é promoção de livros, certo?

Sempre amamos aquelas ofertas especiais da Amazon e no dia de hoje as ofertas especiais são aqueles romances maravilhosos que não podem faltar na nossa estante. Coooorre para garantir os seus antes que acabe, são diversos títulos de Jojo Moyes, John Green, Juliana Parrini, Megan Maxwel, Abbi Glines, Isabela Freitas e MUITO MAIS!!

Sem título

Você pode conferir todos os outros títulos clicando AQUI. Tic, tac, tic, tac é só até as 23h

Ainda tem mais, esse mês está sendo todinho de promoções na categoria Geek, não deixa de conferir os livros de Ficção Científica e Distopias em promoção clicando AQUI!!

Bjokas, até a próxima! :*

Sem categoria

[RESENHA] Os 13 Porquês – Jay Asher

Não deixa de ler o livro que originou essa série tão espetacular!!

Olá, pessoas! A resenha de hoje e primeiríssima do ano é da minha melhor leitura de 2016 e releitura maravilhosa que fiz já esse ano. Vamos lá…

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento..

 wp_20170121_11_26_32_pro

Opinião:

A primeira vez que li Os 13 Porquês, não consegui resenha-lo, não consegui sequer escrever algo sobre ele, tamanha angústia que essa história havia me causado. Em alguns momentos me peguei pensando “Ei, façam alguma coisa por ela!”… E nada era feito. Somente uma garota que continuava a contar sua…

Ver o post original 488 mais palavras

Resenhas

[RESENHA] Tudo e Todas as Coisas – Nicola Yoon

Olá, pessoas! Resenha desse livro mais que lindo, Tudo e Todas as Coisas, da Nicola Yoon, publicado aqui no Brasil pela Editora Novo Conceito ❤

WP_20170401_13_58_58_Pro

Sinopse: “Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre.”


Opinião: Nicola Yoon é a nova Jeniffer E. Smith na minha vida, isso porque é impossível não comparar o amor que sinto pelo Oliver de A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista com o meu amor pelo Oliver de Tudo e Todas as Coisas. Eu, como uma boa apaixonada por romances, daqueles que para serem mais doces só falta escorrer mel das páginas, me senti intrigada pela sinopse e em descobrir como, no mundo dos amores mais improváveis dos livros, o amor de Madeline e Oliver poderia dar certo. Madeline é alérgica a tudo que está fora da bolha de proteção criada por sua mãe, alérgica a ter, sentir e fazer tudo que qualquer garota adolescente no auge dos 18 anos seria e é capaz.

Do outro lado da rua, no quarto em frente a sua janela, está Oliver, recém-chegado à vizinhança. E como se, por algumas das infinitas razões e possibilidades existentes neste vasto universo, já estivessem predestinados a encontrar um ao outro, Madeline tem seus sentimentos despertados pelo estranho garoto do outro lado da janela. Do outro lado da sua bolha. De onde ela não pode sair.

WP_20170401_14_02_06_Pro

A sua rotina imutável de cuidados e checagens, os seus livros novos à espera de serem lidos e tudo que ela conhece dentro de seu quarto branco perdem o sentido de ser quando o primeiro contato é estabelecido, e a partir daí, Madeline e Oliver se tornam o tipo de casal que você torce para dar certo no final apesar das adversidades. Não importa que o relacionamento que os dois alimentam seja virtual ou por meio de escritos em janelas ou que nos breves encontros eles não possam se tocar, o amor de Olly e Mandy é real o suficiente para, mais do que nunca, ela desejar sair de sua bolha e se arriscar no mundo que ela não conhece.

Nicola tem uma escrita poética, leve, instigante, me fez querer colorir o livro todo marcando as partes mais lindas. A história de amor de Olly e Mandy e a percepção do quanto estamos e somos aprisionados em nossos medos e anseios, nos faz refletir sobre o quanto perdemos de vida estando trancados em nossos próprios mundos, com medo dos riscos, com medo do que nos aguarda lá fora. Mas também ensina que, apesar dos riscos ou consequências, sempre vale a pena ariscar, o ano mal começou, mas essa belezinha certamente estará no Top10 de 2017.

WP_20170401_14_00_07_Pro

Tudo e Todas as Coisas é o seu livro de estreia. Nicola ainda tem outro romance publicado recentemente aqui no Brasil pela mesma editora, intitulado O Sol Também é Uma Estrela. Vale lembrar também que a história de Madeline e Oliver ganhou uma adaptação cinematográfica, produzida pela Warner Bros, com data de estreia prevista para 15 de junho deste ano. O filme será estrelado por Amandla Stenberg (a nossa amada Rue de Jogos Vorazes) no papel de Madeline e Nick Robinson (de A 5ª Onda e também estará na adaptação de Simon vs. A Agenda Homo Sapiens) no papel de Oliver. A adaptação do livro já ganhou um trailer que, por conter alguns spoilers, eu não postarei aqui, mas vejam por conta e risco no YouTube!!

Bjokas, até a próxima :*